Arquivos
Busca
Cadastro

Carreira
Chat
Contato

Discografia
Discussão

Galeria
Links

Menu
Shows
Visitas

Guilherme Arantes
Site do Músico

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Download Internet Explorer - Visualização 640 X 480

  

Em destaque: o trabalho dos músicos que tocam com Guilherme Arantes

Foto: divulgação

Gabriel Martini

Nascido em São Paulo (SP) em 22 de setembro de 1984, o baterista Gabriel de Santi Martini despertou interesse pela música na Bahia, aos doze anos. Começou estudando violão, mas aos treze quis estudar bateria, que se tornou seu instrumento principal. Mais tarde, aos dezoito, foi estudar piano. Num papo descontraído ao ao "Fanzine Lance Legal" o músico conta sua trajetória.

Gabriel Martini - comecei a tocar bateria na noite de Salvador aos treze anos... bares, casas de shows, restaurantes, boates, tanto que já fui impedido de tocar em determinados lugares por causa da idade. O que rolava naquela época era "pagode" ou "axé" para os paulistas, mas enfim, era aquele pagode baiano do Gera Samba, que depois se tornou o "É O TCHAN". Toquei em algumas bandas desse estilo... começando com o S.O.S. do Samba. Foi uma passagem bem rápida.

Depois veio a banda Dikara. Neste projeto eu era sócio junto com meu irmão, Raphael Martini, que tocava cavaquinho e bandolim (muito bem por sinal), e mais 6 amigos. Fizemos muitos shows por Salvador, micaretas no interior da Bahia, etc.. Alguns anos mais tarde, o grupo Gera Samba saiu de São Paulo para fazer um carnaval na Bahia, porém sem os músicos. Então, a banda DiKara se tornava o Gera Samba naquele carnaval.

A Dikara acabou, e eu, meu irmão e o tecladista montamos outra banda, agora com um som totalmente diferente. SoulFunk (não a do Junior, que montou a banda depois e coincidentemente se chamava SoulFunk). Gravamos algumas demos e fizemos muitos shows em formaturas, casas de show, boates.  

Em 2006, eu estava no meio do curso de Publicidade e Propaganda, quando entrei para o Estúdio Zero, uma produtora de jingles, onde produzi muitas trilhas, jingles, spots... Foi através da publicidade que realmente me interessei por gravação e mixagem. Neste mesmo ano, entrei para a Hajoe, banda de rock que começava a gravar seu primeiro disco com o produtor André Tavares, mais conhecido como André T. O disco ficou fantástico, mas logo após as gravações eu saí da banda. O disco só foi lançado em 2010.

Me envolvi como sócio em mais um projeto de pop/rock, a banda Pelikans, mas em paralelo, tocando como freelancer, com Sarajane, nos projetos de axé e de forró (Flor de Canela), e com o cantor sertanejo Paulo Góes.

Foto: divulgação

Gabriel Martini e Pedro Arantes - Paxkayab

Um ano depois, em 2007, conheço Pedro Arantes - filho do músico Guilherme Arantes, que me convida para produzir música eletrônica com ele no Coaxo do Sapo, estúdio do Guilherme. Montamos então o PAXKAYAB, projeto de chillout eletrorgânico (instrumentos acústicos com instrumentos virtuais).

Ainda não lançamos o nosso disco, pois está em fase de produção até hoje. Temos um set com 8 músicas, e em breve lançaremos este projeto. Em  paralelo ao PAXKAYAB, fizemos um set de Electrohouse, incluindo uma versão de Smoth Criminal do Michael  Jackson, que pretendemos lançar um dia. Por enquanto está na "gaveta". Mais informações sobre o trabalho: www.myspace.com/paxkayab

Nesse meio tempo, estudei áudio no CAM - Escola de Áudio & Música e na Synthex Pro School. Mais tarde fiz um curso de produção musical na 2600Hz. As três ficam em São Paulo. 

Foto: Carlos Delagusta

Noite de autógrafos - "A Cara e o Coração"

Antes da minha chegada ao Coaxo do Sapo, Pedro e Guilherme Arantes, já haviam gravado dois projetos: Heather Davis, uma cantora norte-americana que trouxe uma guig de músicos brasileiros e um repertório de música brasileira;  a banda paulistana de dub Rockers Controll; e o último disco do Guilherme Arantes, "Lótus", lançado em 2007. Quando Pedro me convidou, estávamos produzindo apenas nosso projeto de música eletrônica. Mas logo começamos a gravar e produzir outros artistas, produção de singles e jingles também. Assinamos a produção dos discos: "Linha 8 Soul", do cantor e compositor Sérgio Passos, lançado em 2010; "Eu Humano" da banda de Rock baiana O Círculo; "Sete", projeto Cabrazén do compositor Renato Di Giorgio, lançado em 2011; "A Cara e o Coração", uma releitura dos discos "A Cara e a Coragem" (1979) e "Coração Paulista" (1980) do Guilherme Arantes, gravada por nove bandas da cena local de Salvador: Maglore, Hajoe, Pirigulino Babilake, Setembro, O Círculo, Neologia, Enio e a Maloca, Radiola e Quarteto de Cinco (lançado em 2011); "Néctar Brasil", da banda de rock/pop/reggae baiana Néctar Brasil; "Debate", do compositor Sérgio Ugeda, que ainda será lançado.

Foto: divulgação

Jesse Monroe e Gabriel Martini

Também gravamos outros artistas com outros produtores: Jesse Monroe, cantora inglesa produzida pelo inglês Adam Burke. A banda foi toda daqui com exceção do Adam que é guitarrista do disco. Eu gravei a batera e alguns pianos, o Adam nas guitarras, Babalu no baixo, o Guilherme também gravou alguns teclados, pianos; Mou Brasil, guitarrista de Jazz - o disco foi produzido por ele mesmo, e gravado por uma banda extraordinária, com participação de Steve Colleman no sax, em algumas faixas. E também do saxofonista carioca Marcelo Martins; Duo Ambar, violão e violão cello; Leonardo Reis e Ricardo Erick -  produzido pela própria dupla baiana, o disco traz um repertório de choro, bossa-nova e sambas; Monclar Valverde, interprete de standart jazz, gravou o disco Jazz Balads, produzido por Monclar Valverde e Marquinho Carvalho; Savages e Massa Rock: a gravação do disco da banda paulistana de Dub, Savages deu origem ao disco Savages e ao da cantora de reggae/dub Massa Rock (Marietta, filha do Guilherme), que é a tecladista da banda; OQuadro, banda de Hip-Hop de Ilhéus da Bahia. O disco foi produzido pelo conhecido produtor de Dub, Hip-Hop, Reggae, Buguinha Dub, e será lançado pelo selo Coaxo do Sapo; Mariana de Moraes, cantora carioca, produzida pelo paulistano Alê Siqueira, conhecido produtor da MPB; Filarmônica de Pasargada, a banda paulistana gravou seu primeiro disco, que foi produzido por Alê Siqueira - o disco intulado A Força do Hábito está sendo lançado.  Tem também o disco do projeto cultural "As Ganhadeiras de Itapuan", em fase de edição/mixagem e que será lançado em abril/2013, também produzido por Ale Siqueira. Alguns destes trabalhos podem ser conferidos no site da Coaxo: www.coaxodosapo.com

Gabriel Martini e a banda de Guilherme Arantes

No final de 2010, o Guilherme Arantes me ligou dizendo que no ano seguinte comemoraria seus 35 anos de carreira e me convidou para participar da banda, com o Luis Sérgio Carlini e o Alexandre Blanc, nas Guitarras, o Willy Verdaguer, no baixo. Em 2011, com essa formação, o Guilherme Arantes apresentou-se em diversos estados brasileiros, em capitais e cidades do interior do país.

 

Gabriel Martini - Contatos/E-mail:  gb.martini@hotmail.com